Vinha de Luz
seja bem-vindo à nossa loja virtual!

REGISTRE-SE | LOGIN ( esqueci minha senha )

Notícia

Psicografia de Chico Xavier confirma a revelação: João Evangelista é Allan Kardec




Capa do livro "Mandato de amor", organizado por Geraldo Lemos Neto, edição da UEM

As peças do puzzle vão se encaixando todas. A verdade é como o azeite: vem lentamente ao de cima para não chocar ainda mais as mentalidades retrógradas que hão de fazer sempre resistência. Os espíritos superiores sempre nos testemunharam que reverenciavam, surpreendidos, a grandeza da história do espírito de Chico Xavier, incompatível com versões menores sobre o mesmo. Além de desrespeitarem o ser humano, apóstolo do Cristo, muitos "espíritas" humilharam-no com considerações infelizes sobre a sua humildade. Por que são incapazes de a sentir, não estejamos à espera que esses espíritos orgulhosos venham reconhecer o que quer que seja. Antes reconheciam a obra mais que o homem de bem.

 
Atualmente, há setores do movimento espírita que se dedicam a denegrir o "chiquismo", "emmanuelismo" e "andréluizismo", fantasmas que eles próprios inventaram. Há vários anos que as suas teorias têm vindo a ser constantemente desmentidas pela ciência (na obra de André Luiz) e pelas investigações da história universal (nos romances históricos de Emmanuel), comprovando a veracidade impressionante do mandato mediúnico de Chico Xavier.

       

O poeta Casimiro Cunha e seu livro "Cartas do Evangelho"
 
Esta mensagem de Casimiro junta-se a muitas outras fontes credíveis, a começar pela obra de Allan Kardec. Basta ter olhos de ver e querer abrir os olhos. Já não vale a pena meter uma cunha na elite do movimento. E muitas outras sutis irão ser descobertas!
 
Os judeus, há séculos, esperam pelo Messias. Os outros cristãos esperam pelo Cristo que veio no Consolador prometido por Jesus. Também esses "espíritas" não o reconheceram. Nem a Jesus, nem ao Espírito da Verdade, nem a Allan Kardec/Chico Xavier! Cada um deixa que a sua história se repita ou não.
 
Nuno Emanuel, São Paulo, 1 de outubro´13
 
PS.: discípulo amado de Jesus só há um: inventar outros é perder tempo!… "Meus discípulos serão conhecidos por muito se amarem." – Jesus. Nós, espíritas, esquecemos esse ensinamento fundamental?
 

MANDATO DE AMOR
Capítulo II - A Doutrina em versos



AOS ESPÍRITAS



Se queres viver à luz

Do Espiritismo cristão,

Guarda o discípulo amado

No templo do coração.



Ele foi o mensageiro

Do Espírito da Verdade

Unindo a ciência e a fé

Nas lutas da humanidade.



Imita o seu sacrifício

Nas oficinas da luz,

Praticando o ensinamento

Do Evangelho de Jesus.



Suporta a calúnia, o apodo,

O ridículo, o tormento,

Sem fugir à tua fé
Nos dias do sofrimento.



Lembra o discípulo e o mestre
,
Nosso Mestre e Salvador
,
E farás do teu caminho

Um sacerdócio de Amor.



Casimiro Cunha



(Poema psicografado por Francisco Cândido Xavier, no dia 31 de março de 1938, em solenidade realizada pela União Espírita Mineira.)


–––––––––––––––––––––

Do Livro "Mandato de amor" - Geraldo Lemos Neto | 
Itens: SÉCULO XX - AOS ESPÍRITAS | Editora UEM - União Espírita Mineira: http://www.uemmg.org.br/

Livro: http://www.vinhadeluz.com.br/site/produto.php?n=32



Platão, João Evangelista, Francisco de Assis, Allan Kardec e Chico Xavier:
cinco personalidades, o mesmo espírito apóstolo do Cristo Jesus

Cap. 6 – O Cristo consolador. Advento do Espírito da Verdade - O Evangelho Segundo o Espiritismo

Espírito da Verdade - Paris, 1860
Uma frase importante é a do mesmo Espírito da Verdade no item seguinte deste cap.6, que pensamos por si só ser reveladora: “Estou convosco e meu apóstolo vos ensina!” (…) Em verdade vos digo: os que carregam seus fardos e assistem os seus irmãos são os meus bem-amados. Instrui-vos na preciosa doutrina que dissipa o erro das revoltas e vos ensina o objetivo sublime da prova humana. Como o vento varre a poeira, que o sopro dos espíritos dissipe a vossa inveja dos ricos do mundo, que são freqüentemente os mais miseráveis, porque suas provas são mais perigosas que as vossas. Estou convosco e meu apóstolo vos ensina. Bebei na fonte viva do amor e preparai-vos, cativos da vida, para vos lançardes um dia, livres e alegres, no seio daquele que vos criou fracos para vos tornar perfeitos, e deseja que modeleis vós mesmos a vossa dócil argila para serdes os artífices da vossa imortalidade.      
Espírito da Verdade - Paris, 1861



Capa do livro "Crônicas de Além-Túmulo", edição da FEB

Geraldo Lemos Neto, há mais de um ano, já nos tinha chamado a atenção para outra mensagem relevante: “A ordem do Mestre” do espírito Humberto de Campos recebida por Chico Xavier em Pedro Leopoldo a 20 de dezembro de 1935 no livro Crônicas de Além-Túmulo. (…) E os olhos claros e límpidos, postos na visão piedosa do amor de seu Pai celestial, Jesus exclamou: Se os vivos nos traíram, meu discípulo bem-amado, se traficam com o objeto sagrado da vossa casa, profligando a fraternidade e o amor, mandarei que os mortos falem na Terra em meu nome. Deste Natal em diante, meu João, descerrarás mais um fragmento dos véus misteriosos que cobrem a noite triste dos túmulos para que a verdade ressurja das mansões silenciosas da morte. Os que já voltaram pelos caminhos ermos da sepultura retornarão à Terra para difundirem a minha mensagem, levando aos que sofrem, com a esperança posta no céu as claridades benditas do meu amor!... E desde essa hora memorável, há mais de cinquenta anos, o Espiritismo veio, com as suas lições prestigiosas, felicitar e amparar na Terra a todas as criaturas.



Também do espírito Humberto de Campos, na mensagem “Kardec e Napoleão” do livro Cartas e Crônicas: "(…) O celeste emissário, sorrindo com naturalidade, ergueu-o, de pronto, e procurava abraçá-lo, quando o céu pareceu abrir-se diante de todos, e uma voz enérgica e doce, forte como a ventania e veludosa como a ignorada melodia da fonte, exclamou para Napoleão, que parecia eletrizado de pavor e júbilo, ao mesmo tempo: - Irmão e amigo, ouve a verdade que te fala em meu espírito! Eis-te à frente do apóstolo da fé que, sob a égide do Cristo, descerrará para a Terra atormentada um novo ciclo de conhecimento (…) Cânticos de alegria e esperança anunciaram nos céus a chegada do século XIX e enquanto o Espírito da Verdade, seguido por várias cortes resplandecentes, voltava para o Alto, a inolvidável assembléia se dissolvia...O apóstolo que seria Allan Kardec, sustentando Napoleão nos braços, conchegou-o de encontro ao peito e acompanhou-o, bondosamente, até religá-lo ao corpo de carne, no próprio leito. (…)"


Capa do livro "Cartas e crônicas", edição da FEB

Ao reler estas mensagens, não pude deixar de fazer uma ligação com a primeira revelação da missão de Kardec em Obras Póstumas (30 de abril de 1856, médium Sra. Japhet.): "(…) Não haverá mais religião e dela será necessária uma, mais verdadeira, grande, bela e digna do Criador... Os seus primeiros fundamentos já estão colocados... Tu, Rivail, a tua missão aí está. (Livre, o cesta retornou para o meu lado, como o faria uma pessoa que quisesse me designar com o dedo.) A ti, Sr. a espada que não fere, mas que mata; contra tudo o que é, serás tu que virás primeiro. Ele, Rivail, virá em segundo: é o obreiro que reconstrói o que foi demolido (…)."

Nota: esta foi a primeira revelação positiva sobre a minha missão, e confesso que quando vi a cesta se dirigir bruscamente para mim, e me designar nominalmente, não pude me defender de uma certa emoção.



Allan Kardec

Na primeira mensagem, “A ordem do Mestre”, Jesus dialoga com João Evangelista, encarregando-o da Codificação. Na segunda, de “Obras Póstumas”, o Espírito da Verdade anuncia a Allan Kardec a sua missão como codificador. Pode ser extrapolação, mas difícil é não fazer uma analogia/associação entre esses dois espíritos. Nesta palestra, Haroldo Dutra Dias diz que João Evangelista coordenou a codificação de Allan Kardec. Haroldo diz-nos nas suas palestras os motivos pelos quais tinha que ser Jesus a assumir pessoalmente o projeto da segunda revelação. Por que não seria possível João Evangelista assumir a  terceira revelação reencarnando como Allan Kardec? Nos Prolegômenos de “O Livro dos Espíritos”, qual o primeiro nome que nos é revelado como fazendo parte da equipe de espíritos superiores do Espírito da Verdade?

São João Evangelista, Santo Agostinho, São Vicente de Paulo, São Luís, o Espírito da Verdade, Sócrates, Platão, Fénelon, Franklin, Swedenborg, etc.

.........................................



O apóstolo amado do Cristo, João

Platão, João Evangelista, Francisco de Assis, Allan Kardec & Chico Xavier
Cinco personalidades - O mesmo espírito apóstolo do Cristo Jesus

"Para quem acredita, nenhuma palavra é necessária; para quem não acredita, nenhuma palavra é possível." – D. Inácio de Loyola

No dia 25 de janeiro (fundação de São Paulo), lemos este artigo do jornalista Assis de Lima Ribeiro, que não conhecíamos: "Chico Xavier e Francisco de Assis são o mesmo espírito". (http://entreterraeoceu.blogspot.com.br/2012/10/chico-xavier-e-sao-francisco-de-assis.htm)

Não conhecemos os livros por ele referidos, psicografados por Carlos Baccelli, o que demonstra a independência e a diversidade de fontes que consultamos para chegarmos às mesmas conclusões. Nosso artigo (anexo) de junho de 2012, apesar de nunca ter sido publicado, foi já censurado e “queimado” diversas vezes por artigos online e impressos. Faz parte do processo natural da resistência humana. De forma resumida, partilhamos as fontes que nos inspiraram a escrever o artigo na data da desencarnação de Chico Xavier.

Ouvimos a palestra de Julieta Marques sobre “As vidas de Allan Kardec” na Associação Espírita de Lagos (2010). No seu final (27m30), ela fala de duas novas informações sobre reencarnações de Kardec (http://www.youtube.com/watch?v=07hbjuiCyoo&list=UUpEg7VL9lwuUnz5UScLr6FQ&index=4&feature=plcp): “Estávamos fazendo um trabalho sobre Chico Xavier num grande envolvimento espiritual. De repente uma grande emoção tomou conta de mim. Diante de mim apresentou-se a situação. Repudiei e rejeitei…. De imediato, entrei em contato com amigos mais íntimos de Chico Xavier pela internet (…). Que Allan Kardec foi Chico Xavier nós aceitamos. Mas há duas vidas do nosso Chico, do nosso Kardec, e essas duas vidas estão sendo já pesquisadas também. Terá ele sido João Evangelista e Francisco de Assis?…"

E a resposta que recebi (lê a carta): “Sim, querida Julieta. Quanta emoção ao receber as tuas palavras. Quem toca a verdade por caminhos próprios ela tem sabor diferente. Não foi a carne quem to revelou, mas a bondade infinita de Deus, que está nos céus e em toda a parte. Nunca ninguém te falou sobre o Poverello de Assis e, no entanto, tocaste a verdade dos fatos. Quando psicografei o romance medíunico da autoria do espírito de Theophorus, cujo título é "Ignácio de Antioquia", chorei copiosamente todas as vezes que aparecia o personagem João Evangelista, porque identificava nele a figura do nosso Amado Chico Xavier. Todos sabem que João Evangelista voltou depois como Francisco de Assis. É nosso Chico sim, Julieta! E foi Deus quem to revelou essa verdade sublime por acréscimo de misericórdia e como justo prêmio do teu livrinho de luz (referência ao livro “Chiquito”/Vinha de Luz). Não comentarei mais nada hoje, deixando-te a coautoria desta revelação…” (Carta de Geraldo Lemos Neto).

Geraldinho confirmou-nos todo o relato e acrescentou: “Desde o centenário de Chico Xavier tenho falado disso em público, a começar do 37º MIEP - Movimento de Integração do Espírita Paraibano (2010), onde me encontrei com Celestino Severino, que na ocasião, de público, contou um sonho que teve com Chico Xavier lhe mostrando que tinha sido Francisco de Assis”.

A partir daí surgiram-me várias dúvidas e novos questionamentos, aos quais Geraldinho, muito gentilmente, sempre atendeu. Em 2011, esclareceu-nos da possibilidade doutrinária de:

1º) comunicações medianímicas de Platão e João Evangelista na presença do codificador Allan Kardec;

2º) duas comunicações do espírito de Allan Kardec já depois de Chico Xavier ter reencarnado;
3º) as três mensagens do espírito de Francisco de Assis pelo médium Chico Xavier para Pietro Ubaldi e Divaldo Franco e desse espírito por Pietro Ubaldi a Divaldo Franco (aquando da visita do médium italiano acompanhada por Chico Xavier).

Em “O Livro dos Médiuns”, no cap. XIX sobre “O papel do médium nas comunicações”, Kardec pergunta: “As comunicações escritas ou verbais podem ser também do próprio espírito do médium?” Ao que os espíritos da Codificação respondem: “A alma do médium pode comunicar-se como qualquer outra. Se ela goza de um certo grau de liberdade, recobra então as suas qualidades de espírito. Tens a prova na visita das almas de pessoas vivas que se comunicam contigo, muitas vezes sem serem chamadas. Porque é bom saberes que entre os espíritos que evocas há os que estão encarnados na Terra. Nesses casos, eles te falam como espíritos e não como homens. Por que o médium não poderia fazer o mesmo?”

Geraldo diz-nos que “o fato de um espírito encarnado se comunicar com outro espírito encarnado não tem nada demais nem de extraordinário, embora possamos classificá-lo como um fato mais raro dentro da mediunidade. O pesquisador Ernesto Bozzano escreveu um livro sobre esse tema: "Comunicação Mediúnica Entre Vivos" (com lista dos pesquisadores espíritas da época de Kardec que estudaram o tema e prefácio de José Herculano Pires). Outro livro de Bozzano, “Animismo ou Espiritismo”, e a mais importante obra de Alexandre Aksakof,  "Animismo e Espiritismo”, abordam esse tema pouco estudado na Doutrina.

Julieta Marques relembra o livro “Allan Kardec, vol. III”, de pesquisa bibliográfica de Zêus Wantuil e Francisco Thiesen, onde se encontra uma comunicação mediúnica do espírito de Kardec. Geraldo esclarece: "O fato de Allan Kardec ter dado mensagens em 1912 (Chico estava com apenas 2 anos de idade) através de Zilda Gama, e mesmo em 1922 na França, para Leon Denis, não anula, e muito menos desconsidera, o fato dele ser Allan Kardec reencarnado".

Geraldo sublinha que “André Luiz, na obra Nosso Lar, trata do tema da comunicação de um espírito encarnado, o Sr. Ricardo, marido de D. Laura, que já havia encarnado na Terra e na ocasião era ainda um bebê de poucos meses, e que, não obstante isso, saiu do corpo auxiliado por benfeitores espirituais de Nosso Lar e foi levado em perispírito até o lar de D. Laura em Nosso Lar para se comunicar perfeitamente como o Sr. Ricardo com a própria família e os amigos de Nosso Lar. Obviamente, conforme escreve o próprio André Luiz, que presenciou a comunicação, ela vai se dar em condições especialíssimas, não sendo, portanto, uma atividade corriqueira".

Chico Xavier disse a vários amigos que Allan Kardec, entre outros vultos históricos, fora a personalidade de Platão, discípulo de Sócrates. Platão, no entanto, é um dos nomes que assinou os Prolegômenos d “O Livro dos Espíritos”, tal como João Evangelista, que lidera a lista dos espíritos da falange do Verdade. Kardec explica, a quem quer estudar de forma séria e isenta, que isso é perfeitamente possível! Segundo depoimento de Chico (inquestionável para nós), Camille Flammarion, um dos principais médiuns de “A Gênese”, era a reencarnação de Galileu Galilei. Durante as comunicações de Galileu, Flammarion entrava em transe e acessava o seu inconsciente, de onde emergia a personalidade de Galileu. Assim Flammarion “psicografava” (a si mesmo), trabalhando ao lado do seu amigo Kardec, na Sociedade Espírita de Paris.

Geraldinho complementa: “Quanto a Chico ser também Platão esta é uma realidade. São diversos testemunhos a respeito do assunto, não somente de Carlos Baccelli, mas também de Marlene Nobre, de Eurípedes Higino e outros mais. Quando eu psicografava o livro "Ignácio de Antioquia" e Theophorus escrevia os capítulos, e algumas vezes mostrava-me as cenas para que eu as compreendesse e tivesse mais condições mediúnicas de retratá-las com fidelidade, muitas e muitas vezes me espantava, chorando, ao verificar na personagem João Evangelista o nosso amado Chico. Então, quando João Evangelista vai pregar o Evangelho de Jesus pela primeira vez aos curiosos helenos da cidade de Ephesus, os gregos ilustres que lá estavam para ouvi-lo se surpreenderam com a fluência que ele possuía do grego, sem suspeitar que o médium João Evangelista estava, na realidade, recebendo, pela psicofonia, nada mais nada menos, do que o espírito liberto do filósofo grego Sócrates. A sintonia entre eles fora absoluta! Então eu fiquei pensando nesse assunto e me convenci de que João Evangelista teria sido mesmo Platão e estava a receber o seu mestre Sócrates, que, pela primeira vez, falava em língua pátria, aos seus semelhantes, sobre a mensagem do Cristo!”

De fato, a Dra. Marlene Nobre, em entrevista à Folha Espírita (reproduzida em “A Volta de Allan Kardec” de Weimar Muniz de Oliveira, 2008) revela:

"28. g) FE: E a questão de Platão e Kardec?

MN: Esse caso foi muito interessante. Dr. Canuto Abreu mostrou a mim e a Freitas Nobre um documento do próprio punho de Kardec, no qual ele escreve, mais ou menos, o seguinte: "Depois que Zéfiro me contou que eu fui Platão é que pude compreender melhor a minha missão". Conversando com o Chico, em uma noite de autógrafos no Clube Tietê, em São Paulo, falei-lhe desse documento e da revelação nele contida. O médium não se espantou, muito pelo contrário, parecia conhecê-la de longa data. Recomendou-me ler O banquete, de Platão, para compreender melhor a veracidade da informação. Nessa ocasião, o médium confessou-me que gostaria de ir à casa do Dr. Canuto para ver tais documentos. De fato, fomos: Nena e Francisco Galves, Freitas e eu e, naturalmente, o médium."

Foi sobretudo com base nos testemunhos de Geraldo Lemos Neto, amigo íntimo de Chico Xavier, que decidimos fazer o texto numa singela homenagem a esse espírito apóstolo do Cristo. Na investigação sobre as reencarnações dessa alma, Geraldo, humildemente, disse-nos: “Esta é minha modesta opinião, baseada em observações e fatos de nossa convivência mais íntima.”



João Evangelista

Perante a credibilidade de diversas pessoas, com provas dadas pela sua vida e obras no movimento espírita, cruzando informações e fontes de forma independente, pedimos autorização para que fossem divulgados os seus testemunhos e decidimos avançar para a publicação por e-mail do artigo. Durante a nossa pesquisa, além dessas vivências, encontrámos outras referências bibliográficas sobre os arquivos espirituais desse apóstolo da mediunidade, que foi profeta noutras vidas.  O espírito Áureo fala de outra vida do profeta Daniel, como Isaac, filho de Abraão (que quase foi sacrificado a Jeová). O espírito Miramez, em “Francisco de Assis” (por João Nunes Maia), fala de Isaac, Daniel, João Evangelista e Francisco de Assis como o mesmo espírito.

Emmanuel, em “A Caminho da luz”, no capítulo sobre Francisco de Assis, revela-nos: “Todavia, se a Inquisição preocupou longamente as autoridades da Igreja, antes da sua fundação, o negro projeto preocupava igualmente o Espaço, onde se aprestaram providências e medidas de renovação educativa. Por isso, um dos maiores apóstolos de Jesus desceu à carne com o nome de Francisco de Assis. Seu grande e luminoso espírito resplandeceu próximo de Roma, nas regiões da Úmbria desolada. Sua atividade reformista verificou-se sem os atritos próprios da palavra, porque o seu sacerdócio foi o exemplo na pobreza e na mais absoluta humildade. A Igreja, todavia, não entendeu que a lição lhe dizia respeito e, ainda uma vez, não aceitou as dádivas de Jesus".

Podemos encontrar várias analogias no percurso de Chico Xavier no movimento espírita, pois continuamos a repetir sucessivamente os mesmos erros, mesmo que mudemos a nossa roupagem religiosa. Antigos e atuais companheiros reconhecerão um dia, em plenitude, a alma com que tiveram a oportunidade de conviver, e se a aproveitaram na reforma íntima que nos é exigida.

Se tiverem um objetivo sério e feito por pessoas credíveis, os estudos sobre as reencarnações de um espírito são importantes e avalizados pela Espiritualidade Superior. Se assim não fosse, Emmanuel não teria testemunhado algumas das suas vivências anteriores nas suas obras, que foram brilhantemente compiladas em “Deus conosco” (Vinha de Luz). Yvonne Amaral Pereira, que Chico Xavier mui sabiamente designou como “uma heroína silenciosa”, não se teria exposto através do relato de várias das suas existências (endividantes) em seus livros, se esses testemunhos não tivessem um objetivo útil para todos nós.

Não são curiosidades fúteis. Quando aprendemos Doutrina Espírita, as peças do puzzle vão se encaixando por raciocínio lógico. Cada vida é uma peça, uma biografia para estudarmos e aprendermos com ela. Juntando as peças, vamos evoluindo. É o jogo da nossa vida.

Analisando as vivências de Francisco Cândido Xavier e as suas convivências com ele, Geraldinho conclui: “A característica mais marcante do espírito de Chico Xavier é a fé em Deus e em nosso Senhor Jesus Cristo!”
 
Nuno Emanuel, São Paulo – 25 de janeiro 2013
(aniversário de fundação de São Paulo por Manuel da Nóbrega/Emmanuel)

PS.: dedicado aos queridos amigos Julieta e Geraldinho.


..................................................

VIVÊNCIAS DE UM ESPÍRITO - MÉDIUM DO CRISTO
14 REENCARNAÇÕES DE CHICO XAVIER E REVELAÇÃO DA PRÓXIMA


"Mas o Consolador, que é o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito" (João, XIV: 15 a 17 e 26) Cap. 6 – O Cristo consolador. Consolador prometido - O Evangelho Segundo o Espiritismo por Allan Kardec – tradução de José Herculano Pires.

No dia 2 de abril 2012, 102 anos após a encarnação do querido Chico, ouvi mais uma eloquente palestra de Haroldo Dutra Dias: "Uma Vida com Emmanuel" - Homenagem a Chico Xavier http://www.youtube.com/watch?v=VC3F7ibi238 cuja audição recomendamos. Após o estudo dos textos citados confirmei tudo o que Haroldo nos diz. A mensagem de Jesus e do Espírito da Verdade é a mesma n´O Livro do Médiuns (cap.31 – IX) e n´O Evangelho segundo o Espiritismo (cap.6 -5).

Cap. 31 – Dissertações espíritas - O Livro dos Médiuns
Sou eu que venho, o teu salvador e o teu juiz. Venho como outrora entre os filhos transviados de Israel. Venho trazer a verdade e dissipar as trevas. Ouvi-me. O Espiritismo, como outrora a minha palavra, deve lembrar aos materialistas que acima deles reina a verdade imutável: o Deus bom, o Deus poderoso que faz germinar as plantas e levanta as ondas. Revelei a divina doutrina. Como um ceifeiro, liguei em feixes o bem esparso pela humanidade e disse: Vinde a mim, vos todos que sofreis! (…) Espíritas, amai-vos, eis o primeiro ensinamento; instrui-vos, eis o segundo. Todas as verdades se encontram no Cristianismo. Os erros que nele se enraizaram são de origem humana. E eis que do além-túmulo, que julgais vazio, as vozes clamam: Irmãos! Nada perece, Jesus Cristo é o vencedor do mal, sede os vencedores da impiedade.

Observação - Essa comunicação, obtida por um dos melhores médiuns da Sociedade Espírita de Paris, foi assinada por um nome (…) Esse nome é o de Jesus de Nazaré.



Capa de "O Evangelho segundo o Espiritismo"

Cap. 6 – O Cristo consolador . Advento do Espírito da Verdade - O Evangelho Segundo o Espiritismo
Espírito da Verdade - Paris, 1860
Uma frase importante é a do mesmo Espírito da Verdade no item seguinte deste cap. 6, que pensamos por si só ser reveladora: “Estou convosco, e meu apóstolo vos ensina!” (…) Em verdade vos digo: os que carregam seus fardos e assistem os seus irmãos são os meus bem-amados. Instrui-vos na preciosa doutrina que dissipa o erro das revoltas e vos ensina o objetivo sublime da prova humana. Como o vento varre a poeira, que o sopro dos Espíritos dissipe a vossa inveja dos ricos do mundo, que são freqüentemente os mais miseráveis, porque suas provas são mais perigosas que as vossas. Estou convosco, e meu apóstolo vos ensina. Bebei na fonte viva do amor, e preparai-vos, cativos da vida, para vos lançardes um dia, livres e alegres, no seio daquele que vos criou fracos para vos tornar perfeitos, e deseja que modeleis vós mesmos a vossa dócil argila, para serdes os artífices da vossa imortalidade.      
Espírito da Verdade - Paris, 1861

Geraldo Lemos Neto, há mais de um ano, já nos tinha chamado a atenção para outra mensagem relevante: “A ordem do Mestre” do espírito Humberto de Campos recebida por Chico Xavier em Pedro Leopoldo a 20 de dezembro de 1935 no livro Crônicas de Além-Túmulo. (…) E os olhos claros e límpidos, postos na visão piedosa do amor de seu Pai celestial, Jesus exclamou: Se os vivos nos traíram, meu discípulo bem-amado, se traficam com o objeto sagrado da vossa casa, profligando a fraternidade e o amor, mandarei que os mortos falem na Terra em meu nome. Deste Natal em diante, meu João, descerrarás mais um fragmento dos véus misteriosos que cobrem a noite triste dos túmulos para que a verdade ressurja das mansões silenciosas da morte. Os que já voltaram pelos caminhos ermos da sepultura retornarão à Terra para difundirem a minha mensagem, levando aos que sofrem, com a esperança posta no céu as claridades benditas do meu amor!... E desde essa hora memorável, há mais de cinquenta anos, o Espiritismo veio, com as suas lições prestigiosas, felicitar e amparar na Terra a todas as criaturas.

Também do espírito Humberto de Campos, na mensagem “Kardec e Napoleão” do livro Cartas e Crônicas: "(…) O celeste emissário, sorrindo com naturalidade, ergueu-o, de pronto, e procurava abraçá-lo, quando o céu pareceu abrir-se diante de todos, e uma voz enérgica e doce, forte como a ventania e veludosa como a ignorada melodia da fonte, exclamou para Napoleão, que parecia eletrizado de pavor e júbilo, ao mesmo tempo: - Irmão e amigo, ouve a verdade que te fala em meu espírito! Eis-te à frente do apóstolo da fé que, sob a égide do Cristo, descerrará para a Terra atormentada um novo ciclo de conhecimento (…) Cânticos de alegria e esperança anunciaram nos céus a chegada do século XIX e enquanto o Espírito da Verdade, seguido por várias cortes resplandecentes, voltava para o Alto, a inolvidável assembléia se dissolvia...O apóstolo que seria Allan Kardec, sustentando Napoleão nos braços, conchegou-o de encontro ao peito e acompanhou-o, bondosamente, até religá-lo ao corpo de carne, no próprio leito. (…)"

Ao reler estas mensagens, não pude deixar de fazer uma ligação com a primeira revelação da missão de Kardec em Obras Póstumas (30 de abril de 1856, médium Sra. Japhet.): "(…) Não haverá mais religião e dela será necessária uma, mais verdadeira, grande, bela e digna do Criador... Os seus primeiros fundamentos já estão colocados... Tu, Rivail, a tua missão aí está. (Livre, o cesta retornou para o meu lado, como o faria uma pessoa que quisesse me designar com o dedo.) A ti, Sr. a espada que não fere, mas que mata; contra tudo o que é, serás tu que virás primeiro. Ele, Rivail, virá em segundo: é o obreiro que reconstrói o que foi demolido (…)."

Nota. Esta foi a primeira revelação positiva sobre a minha missão, e confesso que quando vi a cesta se dirigir bruscamente para mim, e me designar nominalmente, não pude me defender de uma certa emoção.

Na primeira mensagem, “A ordem do Mestre”, Jesus dialoga com João Evangelista, encarregando-o da Codificação. Na segunda, de “Obras Póstumas”, o Espírito da Verdade anuncia a Allan Kardec a sua missão como codificador. Pode ser extrapolação, mas difícil é não fazer uma analogia/associação entre esses dois espíritos. Nesta palestra, Haroldo Dutra Dias diz que João Evangelista coordenou a codificação de Allan Kardec. Haroldo diz-nos nas suas palestras os motivos pelos quais tinha que ser Jesus a assumir pessoalmente o projeto da segunda revelação. Por que não seria possível João Evangelista assumir a  terceira revelação reencarnando como Allan Kardec? Nos prolegômenos de “O Livro dos Espíritos”, qual o primeiro nome que nos é revelado como fazendo parte da equipe de espíritos superiores do Espírito da Verdade?

São João Evangelista, Santo Agostinho, São Vicente de Paulo, São Luís, o Espírito da Verdade, Sócrates, Platão, Fénelon, Franklin, Swedenborg, etc.

E que reflexões fazer quando lemos as duas mensagens em Obras Póstumas sobre a reencarnação de Allan Kardec?

 Primeiro anúncio de uma nova encarnação (17 de janeiro de 1857 - médium Srta. Baudin)

(…) Mas, ai! A verdade não será ainda conhecida, nem acreditada, por todos, antes de muito tempo! Não verás, nesta existência, senão a aurora do sucesso de tua obra; será necessário que retornes, reencarnado num outro corpo, para completar o que tiveres começado, e, então, terás a satisfação de ver, em plena frutificação, a semente que tiveres difundido sobre a Terra. Terás invejosos e ciumentos que procurarão te denegrir e contrariar; não te desencorajes; não te inquietes com o que se dirá ou se fará contra ti; prossegue tua obra; trabalha sempre pelo progresso da Humanidade e serás sustentado pelos bons espíritos enquanto perseverares no bom caminho. Lembra-te de que, há um ano, prometi a minha amizade àqueles que, durante o ano, fossem convenientes em toda a sua conduta? Pois bem! Anuncio-te que és um daqueles que escolhi entre todos.
Teu amigo que te ama e te protege, Zéfiro

Meu retorno (10 de junho de 1860 - médium Sra. Schmidt)


(…) Resposta (da Verdade) - Prossegui o caminho sem medo, e se ele está semeado de espinhos, asseguro-te que terás grandes satisfações antes de retornares "por um pouco" entre nós.
Perg. – Que entendeis por essas palavras "por um pouco"?
Resp. – Não ficarás muito tempo entre nós; é necessário que retornes para terminar a tua missão, que não pode ser rematada nesta existência. Se isso fosse possível, não te irias daí de modo algum, mas é preciso suportar a lei da natureza. Estarás ausente durante alguns anos e, quando voltares, isso será em condições que te permitirão trabalhar cedo. No entanto, há trabalhos que é útil que termines antes de partir; é porque te deixaremos o tempo necessário para acabá-los.

Nota. – Supondo aproximadamente a duração dos trabalhos que me restam a fazer, e tendo em conta o tempo de minha ausência e os anos da infância e da juventude, até a idade que um homem pode desempenhar um papel no mundo, isso nos leva, forçosamente, ao fim deste século ou ao começo do outro. [grifos nossos]

O Espírito da Verdade e Jesus ter-se-iam equivocado? Que outro espírito senão o de Chico Xavier cumpriu essa missão no século XX?



João, o discípulo amado do Cristo

Geraldo Lemos Neto reuniu diversos arquivos históricos de revelações de Chico Xavier e seus testemunhos a várias pessoas como Adelino Silveira, Marlene Nobre, Martins Peralva, Carlos Baccelli, Weimar Muniz e Severino Celestino, Eurípedes Higino. Chico teve várias encarnações entre nós, mas as mais expressivas terão sido de acordo com a investigação destas fontes principais:

PROFETA ISAAC (1900 a.C.)
A FARAÓ DO EGITO HATSHEPSUT (1470 a.C.)
A FARAÓ DO EGITO CHAMS - Livro SEMÍRAMIS (800 a.C.)
PROFETA DANIEL (622 - 550 a.C.)
PLATÃO (428 - 348 a.C.)
ALLAN KARDEC - O sacerdote druida (Júlio César na Gália - 58 – 44 a.C.)
JOÃO EVANGELISTA (10 – 103 d.C.)
SANTO ANTÃO (251-356)
UM SACERDOTE à época de SÃO REMÍGIO no primeiro Império Franco (440 - 530)
FRANCISCO DE BERNARDONE - SÃO FRANCISCO DE ASSIS (1182 – 1226)
JAN HUSS (1369 – 1415)
O SACERDOTE MANUEL DE PAIVA (1508 – 1584) – ao tempo de MANUEL DA NÓBREGA
PROF. HIPPOLYTE LÉON DENIZARD RIVAIL - O codificador Allan Kardec (1804-1869)
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER (1910-2002)

Haroldo Dutra Dias ensina-nos que a descodificação para a simbologia do Apocalipse de João, está toda explicada pelo profeta Daniel. Geraldo Lemos Neto, em entrevista ao Diário Nordeste, de Fortaleza, de 24/07/12, refere: “É natural que nos primeiros tempos da sua tarefa, em Pedro Leopoldo e depois Uberaba, Chico desconversasse sobre o assunto e até assumisse ter sido algum médium a serviço de Kardec, mas a verdade é que a partir de 1992, já com praticamente toda a tarefa realizada, ele assumiu para os mais íntimos que era, de fato, a reencarnação do codificador Allan Kardec".

Em palestra recente, Geraldinho relata que Nena Galves lhe revelou - numa conversa com ele e Oceano Vieira de Melo (no 3º Congresso Espírita Brasileiro em 2010) - que um dia ela perguntou ao Chico se ele iria reencarnar em breve. Ele disse que para já não. A sua tarefa seguinte seria a de guia espiritual de Emmanuel que iria reencarnar. Chico afirmou: "Ele diz que virá novamente, dentro de pouco tempo, para trabalhar como professor."

De acordo com Suzana Maia Mousinho (amiga do médium desde 1957), Chico Xavier lhe confidenciou detalhes sobre a reencarnação de Emmanuel, que voltaria à Terra no interior do Estado de São Paulo, no seio da família constituída pelo casal D. Laura e Sr. Ricardo, personagens do livro Nosso Lar, de André Luiz. Tal como D. Suzana, Sônia Barsante (Grupo Espírita da Prece - Uberaba) confirma que num determinado dia do ano 2000, estando ela e outros companheiros reunidos com Chico, este se tinha ausentado em transe mediúnico durante alguns instantes. Ao regressar, contou-lhes alegremente que tinha ido em desdobramento espiritual até uma cidade do Estado de São Paulo visitar um bebê, que era o espírito de Emmanuel, já reencarnado. E rematou dizendo a todos os que estavam presentes: “Vocês ainda vão reconhecê-lo!”

Wanda Joviano (amiga de Chico na Fazenda Modelo) defende que "não se pode saber quem é o menino. A família não teria sossego". Atualmente com 12 anos, mora com os pais no interior de São Paulo. Para Divaldinho Mattos, nem Emmanuel terá consciência de seu passado: "Daqui a alguns anos, quando despertar na área da Educação, ele terá uma vidência. O mundo espiritual tem de resguardá-lo."

Geraldo Lemos conversou com o próprio médium sobre o assunto: "Chico dizia que ele teria grande capacidade sensitiva e que a tarefa dele no século XXI será a de guiar o Emmanuel reencarnado para as tarefas da difusão dos ensinamentos de Jesus sob a ótica da Doutrina Espírita." Conversando comigo em Uberaba, e falando sobre a volta de Emmanuel, Chico nos confidenciou: "Geraldinho, o nosso compromisso, meu e de Emmanuel, com o Espiritismo na face da Terra tem a duração de três séculos, e só terminará no final do século XXI".

Nessa troca de tarefas, Chico teria comentado para Emmanuel: “Agora é que o Sr. vai ver como é difícil ser médium na Terra!...”. Ao que Emmanuel retorquiu: “E você verá como é complicado guiar esse médium!...”

Na sequência da conversa iniciada com Nena Galves, Chico disse-lhe que pediu a nosso Senhor Jesus Cristo que lhe permitisse reencarnar no século XXII no Brasil. Nena viu que Chico estava triste porque ele queria voltar ao Brasil, mas Jesus disse que não. “Eu soube, através de benfeitores espirituais, que a resposta do Cristo foi para que eu reencarnasse na Palestina…”, revelou Chico Xavier.

Nuno Emanuel, São Paulo, 30 junho de 2012
(10 anos após a desencarnação de Chico Xavier)

PS.: louvando a Deus pelos 155 anos da chegada à Terra do Consolador prometido por Cristo ao seu apóstolo - agradecemos a Jesus pela bondade e paciência para com as nossas imperfeições; pedimos ao apóstolo João Evangelista/Francisco de Assis/Allan Kardec/Francisco Cândido Xavier que nos inspire ao esforço na prática dos ensinamentos do Espírito da Verdade: “Espíritas, amai-vos e instrui-vos”.

Este texto pretende parabenizar o trabalho da plêiade dos espíritos superiores anunciado a João Evangelista, codificado pelo mestre de Lyon e complementado por Chico Xavier. O estudo da evolução desde espírito - médium do Cristo objetiva, sobretudo, a minha reforma íntima, através da aprendizagem dos seus testemunhos. Respeito todas as opiniões, mas confio na idoneidade dos amigos a quem foram confiadas essas revelações. Sou mero carteiro na partilha destas informações, mas assumo a responsabilidade das minhas convicções. Discordâncias são possíveis e saudáveis, mas não alimentarei desuniões. A Doutrina Espírita ensina a formar livres pensadores e não a doutrinar seguidores e prosélitos.

(
http://www.facebook.com/#!/media/set/?set=a.10150690986097469.415820.584397468&type=3
)



Enviado por Geraldo Lemos Neto | Vinha de Luz Editora | Nuno Emanuel
14/10/2013
 


Wan BrasilAC Portal
VINHA DE LUZ - SERVIÇO EDITORIAL LTDA.
Av. Álvares Cabral, 1777 - Sala 2006 - Santo Agostinho 30170-001 – Belo Horizonte – MG
Telefone: (31) 2531-3200 | 2531-3300 | 3517-1573 - CNPJ: 02.424.852/0001-31